Matando saudade do Dindo lindo {cinco minutos de foto}

julho 15th, 2015

Estávamos brincando com Lorenzo, numa manhã qualquer de folga. Aquela cena bem comum… tapetinho emborrachado e um tanto de brinquedos coloridos espalhados, em formatos variados, alguns barulhentos, outros não. Dá um cheiro, dá a mão pra ajudar a levantar, ri, apresenta um brinquedo, apresenta outro, inventa uma história, os bichinhos ganham nome e voam, outros falam. Quem senta pra brincar com crianças sabe como é… ;-)

Mas eis que comecei a observar aquela cena ali em minha frente, como quem assiste algo de fora. Meu amor e nosso afilhadinho querido matando saudade um do outro. Achei tão bonitinho e inspirador que peguei minha câmera e fiz umas fotos desse momento deles. Cinco minutinhos bastaram pra eu deixar esse carinho gravado pra sempre. Ainda bem! :)

Cores, sabores e texturas {ensaio de família}

julho 10th, 2015

Conheço a pequena Sara desde antes de seu nascimento, quando ela ainda estava na barriga de sua mãe. Seus pais frequentavam a Roda de Gestantes, em busca de informações e empoderamento para que pudessem proporcionar pra Sara uma chegada com muito amor e respeito. Mesmo depois do parto, ainda iam a algumas Rodas abertas para puérperas e bebês. E Sarinha ali, pequenininha, sempre atenta a tudo e toda simpática. Acho que puxou a simpatia dos pais.

Quando ela completou um ano, seus pais não fizeram festa, mas quiseram marcar a celebração pelo primeiro aninho da Sara e essa fase tão gostosa de descobertas com um ensaio fotográfico de família, inclusive com participação especial dos avós e tios. Amei a ideia! E fica a sugestão para as famílias que não são adeptas a festas de aniversário de um ano, seja por qual motivo for…

A mãe da Sara, prendada que só, preparou cada detalhe para nosso delicioso dia que foi repleto de cores, sabores e texturas. Dava gosto ver Sarinha se esbaldando nas frutas! Mais uma sugestão, dessa vez para as famílias que não concordam em fazer ensaio de bebê com bolo… Ensaio com frutas é muito mais saudável, fica super colorido e as crianças adoram!

Primeiros dias do Lorenzo {sessão Boas Vindas}

julho 6th, 2015

Antes de minha filha nascer, eu ficava imaginando como ela seria. Se iria chorar muito, se seria dorminhoca, se seria parecida comigo ou com o pai, se seria careca ou cabeludinha. Por mais que soubesse que a rotina da casa ia mudar, não tinha como saber o quanto mudaria. Como eu me sentiria vendo aquela pequena bebezinha mamando ou dormindo. E só quando o bebê nasce é que vamos descobrindo seu jeito, sua personalidade, suas manias. Só quando o bebê nasce que temos noção do nosso sentimento ao ver um filhotinho tão delicado e indefeso e, ao mesmo tempo, tão cheio de vontade. Por mais que a gente já sinta um amor enorme enquanto o bebê vai se formando e crescendo na barriga (e muitas vezes até antes de ter sido concebido), é com o convívio diário que vamos nos conhecendo e o vínculo vai se fortalecendo.

Juntando a minha vivência com a experiência que outras mães compartilham comigo no meu dia-a-dia, na intenção de contar uma história que faça sentido para seus personagens, quando fotografo um bebê que acabou de chegar procuro mostrar os jeitinhos dele desde pequenininho, um pedacinho do seu dia, os dedinhos tão delicadinhos, a boquinha desenhadinha, a pele descascando, a expressão da mãe ao amamentar… Tudo é novidade, para os pais e para o bebê. E passa tão rápido!

Depois que Lorenzo nasceu, fiz duas sessões dele bem pequenininho. A primeira com duas semanas de vida e a segunda com três semanas. Procurei mostrar sua delicadeza, o sono tranquilo, seu jeitinho de se espreguiçar, os dedinhos, seu rostinho todo desenhadinho, o cuidado de sua mãe.

Em poucas semanas o bebê vai ficando diferente. O cabelo muda, normalmente cai e pode mudar de cor. Ele cresce, engorda, o rostinho vai mudando. Os dentinhos aparecem. Hoje Lorenzo está um menino encantador! Lindo, esperto, serelepe, teimoso, engraçado, falante… E é tão gostoso olhar pra essas fotos e ver que apesar de todas as mudanças, alguns traços e trejeitos permanecem. A rapidez com que eles crescem faz dessas fotos um registro ainda mais valioso.

Não sei se era assim que seus pais imaginavam que ele seria, mas as fotos vão ajuda-los a lembrar sempre esses primeiros dias, seus sentimentos com a chegada do Lorenzo, as emoções, as inseguranças, a alegria, o sono… o pacote completo que acompanha esses pequenos adoráveis.

Se você reparou na fralda de pano das últimas fotos e tem curiosidade de saber onde comprar e outras informações, conheça a Nenê Nupano e saiba mais sobre as fraldas de pano modernas. :)

Yoga – Por uma gestação equilibrada

julho 2nd, 2015

Fui convidada pela professora de yoga Joana Andrade para fotografar uma de suas alunas para ilustrar o belo trabalho que ela vem desenvolvendo com as gestantes de Brasília. Resolvemos fazer esse ensaio ao ar livre, mostrando a harmonia e conexão da gestante com a natureza.

A prática de yoga durante a gestação é muito positiva tanto para a mãe como para o bebê e vai muito além de um exercício físico. Proporciona sim benefícios físicos para o funcionamento do corpo e preparo para o parto e pós-parto, mas também traz benefícios psicológicos que favorecem uma vivência mais plena e equilibrada da gravidez e influenciam na formação do vínculo entre a mulher e seu bebê.

Joana é uma mulher linda, da voz doce e tranquila, daquelas pessoas que amamos ter por perto. Não é a toa que suas ex-alunas são apaixonadas por ela, se apegam e insistem para que ela abra turmas de yoga para não grávidas. E eu também estou nessa campanha! ;-) Além das aulas de yoga, ela dá oficinas de Shantala (vocês verão aqui em breve) e coordena, juntamente com a doula Taiza Nóbrega, a Roda de Gestantes, um grupo de educação perinatal que propicia a troca de experiências e informações a respeito de temas relacionados à gestação, parto e puerpério.

Sua aluna Ju já esteve por aqui embelezando o blog. Um mulherão com jeitinho de menina ao sorrir. Atualmente, a Ju também faz um trabalho lindo nesse universo da maternidade, a yoga massagem ayurvédica para gestantes e puérperas.

Ao lado dessas duas mulheres incríveis tive o privilégio de fazer essas fotos. Com vocês, a Ju, na época prestes a ganhar a Maria Valentina, esbanjando flexibilidade e graça numa sessão de yoga orientada por Joana.

Se você se interessou em saber um pouco mais sobre Yoga e seus benefícios para a gestação, visite o site Yoga Mami e conheça o trabalho da Joana. No site tem endereço, contato e depoimentos de alunas falando sobre a experiência de praticar yoga na gravidez.

Bernardo fez um ano! {piquenique com os amigos}

junho 20th, 2015

Tenho lembranças muito especiais da minha infância. As noites de Natal, as viagens para estar perto da família, a árvore em que eu e minhas amigas subíamos e passávamos a tarde em reunião do nosso “Clubinho”, o dia em que meu irmão nasceu, as nossas festas de aniversário… Essas merecem um capítulo só pra elas!

Nossas festas de aniversário eram em casa mesmo, com a família e aqueles amigos mais próximos. Apartamento não muito grande, com menino correndo de um lado pro outro. As crianças se embolavam no quarto pra brincar com os presentes. Tinha bolo de verdade, brigadeiro, salgadinho e cachorro-quente. E era muito divertido! Tudo muito simples e com muito carinho. Minha mãe cozinha muito bem, mas nunca teve intimidade com os bolos. Mesmo assim, se arriscava e fazia do jeito dela. Ficava tão bom! Me lembro como se fosse hoje de uma festa com convidado chegando e bolo ainda no forno. Acho que a primeira tentativa não tinha dado certo e ela teve que fazer outro. Se a comemoração não era em casa, era um piquenique no parque, churrasco no clube com bolo e parabéns de sobremesa. Essas são as minhas referências de festa de aniversário e que me trazem doces lembranças com gosto de infância.

Não sei o que tem acontecido com as festas infantis dos tempos atuais. Conheço famílias que gastaram dezenas de milhares de reais em uma festa. Tudo bem. Cada um sabe de suas prioridades. Vejo espaços luxuosos, decorações cinematográficas, brinquedos eletrônicos, crianças nos colos das babás uniformizadas, festas regadas a champagne e comida chique, doces que temos até pena de comer de tão sofisticados. Será que tem sentimento? Cadê as crianças sendo crianças, com pés descalços e bocas lambuzadas dos brigadeiros que roubaram da mesa sem ninguém ver?

Não quero fazer julgamentos e respeito quem faz esse tipo de escolha. Meu objetivo com esse post é mostrar a minha escolha, o que me inspira e faz meu coração bater mais feliz.

Já fotografei muitas festas e eventos infantis. Por conta dos partos, minha agenda de festas e eventos foi ficando naturalmente mais restrita. Juntamente com essa restrição de agenda, fui direcionando meu trabalho pra um outro rumo, que fizesse mais sentido pra mim. Se era pra eu estar longe da minha família naquele momento, normalmente num fim de semana, que fosse pra fotografar algo que tocasse meu coração e fosse especial. Com a maturidade na carreira, a gente também vai aprendendo e se posicionando no mercado, na vida. Eu não queria ser apenas mais uma “moça da foto” da festa chique. Eu queria ser a pessoa que se sente como membro da família e que iria colocar todo o meu carinho pra fazer um trabalho documental de forma artística, olhando de dentro, com o objetivo de contar uma história, de levar para essas crianças as lembranças gostosas de infância, assim como as que guardo comigo até hoje.

Há quem ache que se trata de uma postura egoísta ou egocêntrica de só fazer o que queremos ou aquilo que gostamos. Pra mim é uma questão de respeito a nossos valores e princípios. Não tem problema nenhum um profissional prestar um serviço apenas para receber o dinheiro, de forma totalmente comercial, sem se importar com questões filosóficas, sociais ou mesmo internas. Não quer dizer que essa pessoa não tenha suas convicções, mas sim que as separa do seu trabalho. Não vejo nada de errado nisso. Tudo depende do propósito de cada um. Pra mim, a banda toca de outra forma. A fotografia na minha vida é experiência, vivência, forma de ver o mundo e de me expressar, e não apenas um trabalho. Claro que tenho que cobrar por isso, pois sou gente e como todas as outras pessoas do planeta tenho contas a pagar. As fotos em si e o pagamento por elas fazem parte, mas não são o fim. Então, é importante que aquele trabalho converse com tudo aquilo que eu carrego aqui dentro. Essa é a MINHA forma de lidar com a fotografia, o que não quer dizer que seja a única ou a correta.

Estou falando tudo isso pra que vocês tenham ideia de como fotografar a comemoração do primeiro aniversário do Bernardo foi especial pra mim e o quanto eu guardo essa família no meu coração. Vi o Bernardo nascer, fotografei sua família uma semana após sua chegada e agora lá estava eu, no seu primeiro aniversário.

Seus pais resolveram convidar os familiares e amigos mais próximos pra um piquenique em um lugar que acham gostoso e tranquilo. Escolheram uma árvore, espalharam cangas e montaram uma cabaninha de bolinhas para as crianças. Tinha frutas, sucos naturais, cerveja para os adultos, salada de frutas, sanduichinhos e bolo de verdade. Tinha também muita amizade e carinho entre todos que estavam ali. O Bernardo não vai se lembrar do sabor da primeira colherada de cheesecake da sua vida, mas vai ter essas doces lembranças de um dia leve e gostoso, cercado de sorrisos e pessoas especiais, pra sempre. Isso me deixa completamente animada, inspirada e motivada a continuar seguindo o meu coração, respeitando a forma como vejo o mundo.

Mais uma vez, não me entendam mal. Não quero julgar quem faz festas cheias de efeitos especiais e nem dizer que todo mundo tem que fazer festa em casa e fazer todas as comidas e lembrancinhas, mesmo sem saber ou ter habilidade pra isso. A ideia não é essa. Só quero mostrar que existem formas mais simples de se comemorar e dizer pra você que valoriza a simplicidade e o sentimento de família acima de tudo que vou adorar fotografar sua festa no parque, no quintal, na sala de casa, no gramadão da quadra…

 

All Images Copyright Ana Paula Batista | Blog Theme Created by LJP & SLR Lounge